terça-feira, 20 de setembro de 2016

Cantorias de Jardim




Cantorias de Jardim enlaça poeticamente um ramalhete de flores através de poemas inspirados na poesia oral do folclore. O narrador poético conversa com as flores ( rosa, cravo, lírio, amor-perfeito, margarida, jasmim, miosótis e demais flores do feixe poético) , conta seus segredos e magias e, por vezes, chama o leitor para participar da cena poética, ora ofertando-lhe a flor homenageada, ora propondo um jogo de adivinhação, ora advertindo-o para perceber a flor, tal como faziam os cantores peregrinos e singelos de outrora.

Cantorias de Jardim

Cantorias de Jardim enlaça poeticamente um ramalhete de flores através de poemas inspirados na poesia oral do folclore. O narrador poético conversa com as flores ( rosa, cravo, lírio, amor-perfeito, margarida, jasmim, miosótis e demais flores do feixe poético) , conta seus segredos e magias e, por vezes, chama o leitor para participar da cena poética, ora ofertando-lhe a flor homenageada, ora propondo um jogo de adivinhação, ora advertindo-o para perceber a flor, tal como faziam os cantores peregrinos e singelos de outrora.

segunda-feira, 27 de junho de 2016

Encontro com Cobra Norato e Outras miragens

                                                   Foto da Professora Rosane Maria Kreuch

"Adoro ler sobre o nosso folclore. Conhecer os mitos e as lendas que as pessoas passam de geração para geração. No entanto, pouco lembro do acesso a estas histórias, muitas vezes nascidas da pura imaginação das pessoas, durante a minha infância.

Meu contato com o folclore brasileiro aconteceu mesmo devido a profissão de professora. Aí encontrei-me com Monteiro Lobato, Ricardo Azevedo, Clarice Lispector, Heloísa Prieto...
Juro que se fosse possível voltar no tempo, levaria este tema muito mais a sério no trabalho com as crianças. Eu seria uma professora folcloresca.

Ainda mais agora que temos a honra de conhecer um livro primoroso que nos apresenta a poesia no folclore brasileiro. É um livro muito legal sobre o assunto e recomendo! Ele se chama “Cobra Norato e outras miragens” e é da escritora Eloí Bocheco.

Tirei o dia de hoje para curtir intensamente este livro que já está comigo faz um tempinho. 
Li mais de uma vez cada um dos dezessete poemas que compõem o livro e que contam a história de alguns personagens como Cobra Norato, Saci-Pererê, Iara, Boto, Pedro Malasartes, entre tantas outras inesquecíveis figuras do nosso folclore. Também levei o livro para o jardim e fiz uma espécie de "ensaio fotográfico" das minhas páginas preferida. Será que vão gostar das minhas escolhas? Se o texto é maravilhoso imaginem composto com ilustrações indescritivelmente belas de Dane D’Angeli.

Outra coisa muito importante no livro e que me motivou ainda mais a lê-lo foi encontrar as referências da pesquisa que a autora fez para embasar a escrita. Ao final do texto são apresentados livros de Leonardo Boff, Carlos Rodrigues Brandão e Luís da Câmara Cascudo nas referências bibliográficas. Um luxo, não é mesmo?"


Professora  Rosane Maria kreuch
Florianópolis/SC




                                                     Fotos da Profa.  Rosane Maria Kreuch


domingo, 29 de maio de 2016

Mito, folclore, poesia...

 Resenha sobre Cobra Norato e outras Miragens, no Jornal Contraponto/PB
 Por Neide Medeiros Santos
 Professora, escritora, crítica da FNLIJ na Paraiba. 



"Cobra Norato e outras  Miragens me levou ao encontro de Guriatã: um cordel para menino, do poeta pernambucano Marcus Accioly. Os dois poetas, Bocheco e Accioly, utilizaram-se das vozes dos folcloristas, pesquisadores, estudiosos de nossa cultura e das nossas raízes que alimentam o imaginário popular brasileiro para cantar em versos, com força poética, esses mitos e as lendas". ( Neide Medeiros) 

terça-feira, 26 de abril de 2016

Folclore sempre!


Em Cobra Norato e outras miragens, realizo um desejo antigo:  celebrar  poeticamente algumas figuras do folclore brasileiro, pelas quais tenho grande afeição. Recriá-los, em versos, é um modo de regar raízes muito caras, criadas a partir de vivências com as histórias destes graciosos personagens do repertório oral brasileiro.
Estes “amigos de infância”, ( Saci, Curupira, Boitatá, Mula-sem-cabeça, Iara, Uirapuru, Malazartes ...), com seus muitos encantos, habitam lugares de honra nos assentos da memória. Minha gratidão aos mais velhos de minha infância que, com graça e singeleza poética, me contaram sobre estas encantadoras miragens.








Criados pela imaginação poética dos povos  do campo e da mata, as figuras do folclore brasileiro, homenageadas nesta obra, desafiam o tempo e seguem com brilho próprio,  pródigas em sortilégios e encantamentos.

Homenageá-las, em versos ou prosa, é um modo de regar raízes caras à memória e, também, uma forma de cultivo de parte de um repertório imprescindível da cultura oral brasileira.

E vem o  brincante  Saci, o atento Curupira, o valente Negrinho do Pastoreio, a assustadora  Pisadeira,  o belo Cobra Norato, o luminoso   Caboclo D’água,  a esvoaçante Iara, a reluzente mula-sem-cabeça,  o esperto Pedro Malazartes, o melodioso Uirapuru, a alva Mani, o incandescente Boitatá, a indizível mula-sem-cabeça, e outras encantadoras miragens, celebradas em versos, com singelas letras de sincera afeição. 

    

                                            

quinta-feira, 12 de novembro de 2015

De flor em flor...



Linda e sensível  resenha sobre Cantorias de Jardim,  assinada pela pesquisadora Mercedes Fernandes, no blog LIVROS PARA TODAS AS IDADES:



(...) "A simplicidade que me tocou é diretamente proporcional à complexidade de sua composição poética seja na profundidade dos temas como na afetividade mágica da narrativa folclórica que nos remete a intimidade de cada flor descrita.
 Adorei cada poesia: em títulos simples dos nomes em flor tais como “Lírio”, “Camomila”, “Hortência”,” Camélia”, “Violeta” e também das frases que provocam sentimentos e curiosidades tais como: “O que tem a rosa?”,  “Onde está a Margarida?”
                                                                                      Mercedes Fernandes







quinta-feira, 16 de abril de 2015

Todos os passarinhos...

O poema CANTORIAS, do livro Tá pronto seu lobo? e outros poemas, na contracapa da Revista Ciência Hoje das Crianças - edição de fevereiro/2015